Ageman cobra esclarecimentos da Manaus Ambiental sobre furto de cabos na Estação de Água do Coroado

Ageman cobra esclarecimentos da Manaus Ambiental sobre furto de cabos na Estação de Água do Coroado

Um furto de cabos elétricos ocorrido na Estação Elevatória de Água (EEA) da Rotatória do Coroado, na zona Leste, nesta semana, levou a Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) a cobrar esclarecimentos da concessionária Manaus Ambiental.

Na notificação encaminhada à empresa, a Ageman solicitou informações quanto ao desabastecimento de água, ocasionado pelo furto dos cabos. O problema foi comunicado à Agência pela Unidade Gestora de Água da Prefeitura de Manaus (UGPM-Água).

A Estação Elevatória de Água da Bola do Coroado recebe o abastecimento da Ponta do Ismael na Compensa e distribui para a maioria dos bairros da zona leste da capital.

Segundo o diretor-presidente da Ageman, a concessionária deverá comunicar as áreas da cidade que tiveram o abastecimento comprometido, os horários em que os bairros ficaram sem o serviço, as ações realizadas para o restabelecimento do fornecimento de água, bem como as medidas adotadas pela empresa para evitar a ocorrência de furtos de cabos elétricos.

“De acordo com o que determina o Contrato de Concessão, os serviços precisam ser prestados de forma regular e contínua, de modo a tender as necessidades de interesse público, mas o problema do desabastecimento dos usuários, em função do furto de cabos elétricos, aparentemente têm se mostrado uma constante e nós queremos saber o que a empresa Manaus Ambiental vem fazendo para evitar esse tipo de problema”, afirmou Fábio.

A empresa Manaus Ambiental deverá prestar as informações requisitadas pela Ageman em três dias. Fábio Alho ressaltou também que a Ageman vem acompanhando os prazos dados à empresa para os esclarecimentos dos diversos problemas que foram alvo de notificação por parte da Agência de Regulação, a fim de assegurar o cumprimento efetivo do contrato de concessão.

“Na lei de criação da Ageman está previsto advertência por escrito, multas e até a suspensão do contrato e nós estamos com uma fiscalização forte em cima desse serviço”, destacou Alho.

 

 

Texto: Tereza Teófilo / Ageman

Foto: Divulgação / Ageman

Compartilhar