Alunos da rede municipal de ensino conhecem o projeto Pé-de-Pincha no espaço Ecam

Alunos da rede municipal de ensino conhecem o projeto Pé-de-Pincha no espaço Ecam

Alunos do Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) Professora Elza Damasceno da Silva tiveram uma tarde diferente nesta quinta-feira, 7/6. Os estudantes do 1º período da Educação Infantil, com idades entre 4 e 5 anos, participaram de atividades lúdicas sobre preservação dos quelônios e a conscientização sobre a poluição dos rios, desenvolvidas pelo Projeto Pé-de-Pincha, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), que está sendo exposto no Espaço da Cidadania Ambiental (Ecam), gerido pela Ocas do Conhecimento, daPrefeitura de Manaus, e orientado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed).

As atividades fazem parte da Semana do Meio Ambiente, em parceria com a Ufam, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas) e Semed.

A psicopedagoga do Cmei, Marlúcia Costa, destacou que a compreensão dos alunos sobre o assunto de preservação, se torna maior ao entrar em contato com esse tipo de trabalho, sendo vital para que se possa construir um futuro melhor.

“Temos de preservar nosso planeta para as futuras gerações, que no caso são as nossas crianças. Tentamos trabalhar isso na escola com elas, mostrar a preocupação sobre a preservação do meio ambiente, pois sabemos que o futuro será para eles”, afirmou.

A atividade, de acordo com o responsável pela Educação Ambiental do Ibama, Raimundo Saraiva, tem o objetivo de trabalhar a preservação dos quelônios da Amazônia. “Devemos conscientizar os pequenos sobre a preservação dessa espécie tão importante para a nossa região”, observou.

Projeto Pé-de-Pincha

Criado em 1999 por comunitários da cidade de Terra Santa (PA), e pesquisadores da Ufam, o projeto atua em municípios no Estado do Amazonas e Pará. O nome do projeto refere-se as pegadas do Tracajá (Podocnemis unifilis), que na areia ficam no formato de “pinchas” – tampinhas de refrigerantes de garrafas de vidro.

Atualmente é patrocinado pela Petrobrás, por meio do Programa Petrobrás Socioambiental, e tem como missão preservar e conservar as populações de quelônios da Amazônia, e junto realizar trabalhos sociais com as comunidades ribeirinhas.

Para o professor Paulo Andrade, coordenador do projeto, a proteção dos quelônios precisa ser uma questão levada a todas as faixas etárias, principalmente pela importância dos quelônios para o ecossistema da Amazônia.

“Procuramos envolver as crianças das escolas para que depois elas possam continuar esse trabalho de proteção de algo tão importante para a Amazônia, temos essa oportunidade de mostrar um pouco desse trabalho que já fazemos no interior do Estado”, pontuou.

Texto: Patryck Vieira / Semed

Foto: Lton Santos / Semed

Compartilhar