Cardiologista alerta para cuidados na Copa de 2018

Cardiologista alerta para cuidados na Copa de 2018

Que brasileiro é apaixonado por futebol todo mundo já sabe, e que durante a Copa do Mundo costuma aumentar o número de emergências cardíacas no Brasil também.  Portanto, se você pretende curtir o mundial de 2018 sem ‘sair de campo’ inesperadamente, precisa estar atento a alguns sinais do seu ‘coração de torcedor’.

É o que recomenda o cardiologista do Laboratório Sabin, Anderson Rodrigues. Afinal, altas cargas de adrenalina e euforia durante os jogos podem ser um fator de risco cardiovascular, principalmente se somadas a maus hábitos, como o excesso de bebidas, o fumo, o sedentarismo e a má alimentação.

“Dentre os sintomas que podem servir de alerta ao torcedor estão tremores nas mãos, suor frio, palidez na pele, ‘palpitações’, respiração ofegante, pressão alta, turvação visual, aperto no peito, tonturas e, até confusão mental”, informa o cardiologista. Ele orienta que, diante de tais manifestações do corpo, o torcedor deve avisar logo um familiar e procurar ajuda de um médico.

O especialista destaca que, durante as partidas desse tipo de competição, esteja o torcedor num estádio, acompanhando pelo rádio do carro ou em frente à TV, há várias alterações em seu corpo, ocasionadas pela ansiedade e excitação. Com isso, há intensa liberação, na corrente circulatória, de substâncias conhecidas como hormônios, que podem levar o organismo a reagir com aumento da pressão arterial, da frequência cardíaca e dos níveis de glicose no sangue.

Embora o levantamento sobre Fatores de Risco para Infarto do Miocárdio no Brasil (FRICAS) tenha determinado que a faixa etária de maior sensibilidade ao problema fique entre 45 a 70 anos de idade, o cardiologista do Sabin ressalta que o diagnóstico de ataques cardíacos em jovens é cada vez mais frequente.

E lembra que a probabilidade aumenta para torcedores que apresentam, previamente, diabetes, pressão alta, dislipidemia (colesterol ou triglicerídeos alterados), tabagismo, sedentarismo, fatores de risco psicossociais (estresse, depressão, ansiedade, intolerância e raiva), ou que tenham histórico familiar de infarto/angina precoce.

Efeitos Positivos – Apesar de tudo, o futebol também pode servir como elemento de proteção ao coração e a todo o sistema cardiovascular, segundo o cardiologista Anderson Rodrigues, tendo como base várias publicações científicas.

Ele cita o estudo feito pelo pesquisador francês Frederic Berthier, relativo aos dados médicos antes e depois da final da Copa de 1998, quando a França ganhou do Brasil. Cinco dias antes da partida foram observados 32 infartos do miocárdio e este número caiu para 23 nos cinco dias seguintes.

“Ver o seu time marcar um gol ou vencer uma partida implicará na consequente redução de qualquer estresse emocional negativo, proporcionando bem-estar e favorecendo um melhor prognóstico do ponto de vista cardiovascular”, finaliza o cardiologista.

Dicas Sabin:

Em relação a estilo de vida saudável, vale lembrar que todos os dias devemos: escolher alimentos corretos; hidratar-se abundantemente; dormir bem; praticar atividade física regularmente (após a avaliação com seu médico), não fumar, reduzir/controlar o peso corporal.

1 – Nos dias de jogos: assista na companhia de familiares e de amigos (convívio social diminui o estresse); saia da frente da televisão se “ficar nervoso” com o técnico da seleção ou com o juiz do jogo; evite bebidas estimulantes, como os energéticos ou outras bebidas com cafeína; use roupas confortáveis, que não impeçam os movimentos ou impliquem em calor excessivo.

2 – Gerencie seu tempo: programe-se bem nos dias de jogos (local para assistir, trânsito etc.).

3 –  Converse com seu médico sobre possíveis recomendações específicas para esses dias de fortes emoções.

4 – Tenha um estilo de vida saudável: escolha alimentos corretos; hidrate-se abundantemente; durma bem; pratique atividade física regularmente (após a avaliação com seu médico).

5 – Alimente-se, levemente, nos dias de jogos: evite os exageros no consumo de bebidas alcoólicas e petiscos com excesso de sal (sódio).

6 – Para os torcedores que já têm acompanhamento médico é importante não deixar de tomar os seus remédios, nos dias de jogos.

A Copa do Mundo de 2018 acontece na Rússia, no período entre 14 de junho e 15 de julho, com jogos em 11 cidades.

 

Foto: Divulgação 

Compartilhar