Equipe da Prefeitura limpa rip-rap no Nova Esperança

Equipe da Prefeitura limpa rip-rap no Nova Esperança

Um rip-rap localizado entre as ruas Umari e Rafael Assayag, no bairro Nova Esperança, zona Centro-Oeste, recebeu serviço de limpeza da equipe de igarapés da Prefeitura de Manaus, nesta terça-feira, 12/6.

Essa modalidade de limpeza vem sendo fortalecida pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), que busca manter os principais canais e a orla da cidade livres de resíduos. “É uma atividade prioritária para o prefeito Arthur Virgílio Neto, que nos orienta a trabalhar vários pontos diferentes de igarapés todos os dias, para não deixar o lixo se espalhar pelos rios”, explicou o secretário da Semulsp, Paulo Farias.

A limpeza, que contou com retirada de lixo de dentro do leito do rio e capinação nas encostas, foi comemorada, principalmente, pelos moradores do beco São Geraldo. “Quando o lixo se acumula aqui, causa alagamentos quando chove. Então, a limpeza desse local é muito bem vinda, principalmente para nós que moramos no beco”, disse Juliana Amazonas, que mora no local com mais cinco pessoas.

Além da limpeza do rip-rap, os trabalhadores da Semulsp aproveitaram para limpar uma lixeira viciada postada bem na entrada do canal. “Esse ponto atrapalha muito a rua toda. Mas, sabemos que são os moradores do beco e do rip-rap que jogam lixo aqui. Tem também gente que vem com carrinho de mão de outras ruas despejar lixo no local. Isso é um absurdo”, conta Francisco Farias, comerciante que reside em uma casa que fica ao lado da entrada do canal.

Segundo o comerciante, a coleta de lixo da Prefeitura de Manaus é feita todo dia, sem falhas e não justifica o comportamento dos moradores. “Aqui o carro da coleta passa direitinho. No beco, os moradores não têm do que reclamar, porque os garis entram e pegam os sacos lá de dentro, puxando para fora. Não tem desculpa para esse mau hábito. Quando eu vejo alguém jogar, mando juntar. Porque é absurdo”, comentou.

Neste ano, mais de 300 ações de limpeza em igarapés já foram feitas, resultando no recolhimento de mais de 2,5 mil toneladas de lixo, com média de retirada de 842 toneladas por mês.

Foto: D’Castro/ Semulsp

Compartilhar