Luiz Castro chama atenção para a dependência brasileira do transporte rodoviário

Luiz Castro chama atenção para a dependência brasileira do transporte rodoviário

Em pronunciamento no plenário da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta segunda-feira (28), o deputado estadual deputado Luiz Castro (Rede) voltou a reconhecer a legitimidade da greve dos caminhoneiros, que cobram do governo uma mudança profunda com relação à excessiva tarifação do transporte rodoviário brasileiro. No entanto, o parlamentar chamou a atenção para a excessiva dependência do transporte rodoviário, fruto de opções equivocadas de governos militares e civis que sempre optaram por esse modal.

De acordo com o deputado, hoje, o Brasil, possui aproximadamente 10 mil quilômetros de ferrovias economicamente viáveis e mais 10 mil quilômetros de ferrovias praticamente insustentáveis, quase paralisadas ou subutilizadas. “No tempo do Império, de Dom Pedro II, o Brasil já tinha 10 mil quilômetros de ferrovias funcionando a todo vapor, ajudando a integrar a economia que naquele tempo era bem menor em relação à economia brasileira no século 21, o que significa dizer que não evoluiu”, frisou.

Conforme Luiz Castro, essa excessiva dependência do transporte rodoviário tem que ser debatida pelos próximos candidatos à Presidência da República, ao Governo do Estado, ao Senado. O deputado apontou que os Estados Unidos, China, Japão, Canadá, Austrália e Europa têm malhas ferroviárias importantes, integrando suas respectivas economias, dando alternativa ao modal rodoviário, que está presente nesses países, mas não dominando o transporte de cargas e de passageiros.

“Essa fragilidade brasileira coloca a capital amazonense como um dos epicentros da vulnerabilidade. O aeroporto de Brasília sem combustível, com inúmeros voos interrompidos sem nenhum estoque, mostrando que o Conselho de Segurança Nacional não é bem executado há muitos anos pelo governo federal”, sintetizou o deputado.

Compartilhar