Porão do Alemão terá especiais e torcida com a estreia da seleção brasileira contra a Suíça

Porão do Alemão terá especiais e torcida com a estreia da seleção brasileira contra a Suíça

A programação desta semana começa exatamente um mês antes da casa do Rock completar 20 anos, em Manaus. O dia 13 é, neste caso, sinônimo de sorte, e é também o dia da abertura da semana com a quarta especial no Porão do Alemão. A banda Lótus inicia a semana na quarta e a banda Critical Age fecha a série de shows na noite de sábado. No Domingo, 17/6, a partir das 13h, com entrada franca, a Torcida do Porão vai estar reunida para a estreia da seleção brasileira, na copa da Rússia.

Segmentado – O Templo do Rock tem criado programações diferenciadas para a confirmação de um trabalho muito bem feito. Foi e vem sendo desafiador sobreviver num mercado flutuante em que a programação é exclusiva, segmentada, só com Rock e da melhor qualidade. Duas décadas reinventando, de forma criativa e muito especial a união de talentos que convergem cifras e notas musicais para a diversão de quem curte rock’n’roll.

Programação – Na quarta especial, 13/6, a contagem regressiva para as comemorações pelos vinte anos, começam com Thiago Carvalho, no Happy Hour, seguido pela banda Black Sage, no palco principal, com especiais de Madonna e Cindy Lauper. A banda Lotus encerra a noite.

Na quinta-feira, 14/6, Happy Hour do Porão e logo depois as Bandas Grimm Acoustic Duo e logo depois, Rafael Brito e Convidados.

Sexta com as melhores dos anos 80 – Eloi Junior e Hayane Jobim, abrem a programação do Happy Hour, na sexta, 15/6. No palco principal a Banda Off The Wall, com o especial Pink Floyd e Edu Ardanuy, com Dr. Sin.

Sabbarock – O Sabbarock, 16/6, tem audição no Happy Hour, com a Banda Dramaqueen. Depois as Bandas N69 Rock e, pra fechar, Critical Age.

Um dos melhores na guitarra – Eduardo Ardanuy foi por 10 anos, eleito pela revista ‘Cover Guitarra’, o melhor guitarrista do Brasil. Dentro da programação desta semana, na sexta-feira, 15/06, ele volta a estremecer o palco do Porão em duas etapas: primeiro com uma participação no Especial Pink Floyd com a Banda Off the wall e, em seguida, com 25 clássicos do rock’n’roll com Banda formada pelos músicos: Marcel, Betinho, João Almeida, Pedraça e Casé.

Sobre as duas décadas de puro Rock – O Porão nasceu no anexo do restaurante do patriarca da família Lauschner, Seo Luiz (pai do William, o Alemão). Era um espaço de reunião de amigos, amantes do bom rock’n’roll e logo passou a ser um bar temático. Curiosamente, esta história começou no dia 13 de julho de 1998, nada menos que o ‘Dia Mundial do Rock’. Curioso porque a data só foi descoberta tempos depois pelo próprio Alemão.

Mas ainda era preciso criar uma programação que pudesse atrair os roqueiros da capital. A falta de acervo musical ‘obrigava’ o Alemão a rodar uns sons que ainda não eram os mais preferidos. Foram aproximadamente quatro meses com esse estilo e com poucos clientes.

Foi aí que chegou a ajuda dos amigos, que se tornaram fundadores. A virada começou assim: Denis Rangel trazia seus CDs e amigos para curtir o som do bar, Kléber Lauschner (1983-2006), primo do Alemão, doou um único CD do Nirvana (na época), Unplugged, Guaraciaba de Menezes Tupinambá Jr, trouxe cinco CDs do Steve Reivogan, oito CDs Pink Floyd (The Wall), 4 Rolling Stones, mais duas coletâneas de rock 1966 ~ 1976, The Band, The Doors, que estão no bar até hoje.

A partir daí surgiu, finalmente, a linha de trabalho que hoje é sucesso copiado por muitos. Outro grande colaborador para o sucesso do bar foi Cezar Dantas que divulgou o local entre seus amigos com destaques na sociedade de Manaus como: Alexandre Prata, Edinho Serrão, Rogério Pina, entre outros que se agradaram do ambiente e recomendaram para seus amigos, como: Junior, Aldroaldo, entre tantos outros.

O toque final, para consolidação da vertente Rock, foi dado por dois grandes amigos que são clientes ouro: Roberto Wagner, mais conhecido ente amigos como Belo, com seu rico conhecimento em música, especialmente bandas de Rock, incendiando o salão do bar com suas sequências musicais e Antônio Cezar Wallace da Silva, o Portuga, que trouxe entre outros, bebidas pouco conhecidas pelos frequentadores na época, o Jack Daniel’s e a Vodka Kadov.

Edi Marques Pimentel, nosso gerente, e Isaías Jr, compõem, junto ao Alemão, desde o início, as principais peças de desenvolvimento do Bar.

 

Compartilhar