Professores da UEA participam de Viagem Científica Exploratória à “Cabeça do Cachorro”

Professores da UEA participam de Viagem Científica Exploratória à “Cabeça do Cachorro”

Um grupo de Professores do Curso de Medicina da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) participou, em 20 de junho, de Viagem Científica Exploratória à Região de São Ga- briel da Cachoeira e Maturacá, no extremo norte da Amazônia (Região conhecida como “Cabeça  do  Cachorro”). O objetivo foi  prospectar  oportunidades  de  inovação  por meio de pesquisas científicas na área da saúde e da tecnologia em saúde (particularmente   telemedicina), mapear processos de atendimento aos pacientes a partir da “ponta da linha”, tudo para contribuir com o desenvolvimento socioeconômico da Amazônia.

A viagem, coordenada pelo Gabinete do Comandante do Exército Brasileiro (Brasília/DF), com o apoio do Comando Militar da Amazônia, integrou membros da Comunidade Cientí- fica brasileira (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministé- rio de Educação, Universidade de Brasília  e Universidade do Estado do Amazonas), além de outros órgãos do Poder Executivo Federal (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Gabinete de Segurança Institucional e Secretaria de Governo da Presi- dência da República, Instituto de Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis), todos envolvidos, potencialmente, com a melhoria das condições da Região.

Professores da UEA participam de Viagem Científica Exploratória à "Cabeça do Cachorro”

Professores da UEA participam de Viagem Científica Exploratória à “Cabeça do Cachorro”

 

A iniciativa do Exército Brasileiro vem estimulando a sinergia dos esforços de órgãos de Estados e Comunidade Científico-Acadêmica, para os quais têm sido disponibilizados os recursos do Exército em apoio às atividades. Na oportunidade, além da prospecção do potencial para pesquisa, médicos do Exército Brasileiro lotados no Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira (ex-alunos da UEA), puderam discutir com antigos professores, casos de pacientes gravemente enfermos naquele hospital, o que ajudou, inclusive, a salvar vidas naquele instante.

Além da UEA, a Universidade de São Paulo (USP) também vem utilizando a área para pesquisas científicas, em razão do potencial existente no local, classificado como um “laboratório a céu aberto” para o desenvolvimento da ciência.

Compartilhar