Cozinha comunitária realiza oficina de culinária para crianças e adolescentes

Cozinha comunitária realiza oficina de culinária para crianças e adolescentes

Crianças e adolescentes participaram nesta sexta-feira, 15/3, da oficina de culinária “Master Chefe Mirim”. A capacitação foi ofertada pela Cozinha Comunitária da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), localizada no bairro Santo Agostinho, zona Oeste. Durante a atividade gastronômica, eles aprenderam sobre a preparação de massas para pizza. A ideia nasceu dos próprios usuários que frequentam o equipamento de segurança alimentar e nutricional da Prefeitura de Manaus.

“Nosso prefeito Arthur Virgílio Neto prioriza que nossas crianças e adolescentes aproveitem o tempo livre para desenvolver atividades que agreguem aprendizado para formar cidadãos e futuros empreendedores”, frisou a secretária da Semasc, Conceição Sampaio.

Os 16 usuários que participaram da edição do “Master Chefe Mirim” há anos estão inseridos nas atividades lúdicas e fazem suas refeições diárias no espaço que serve 200 refeições diárias, todos os dias, à população que vive em vulnerabilidade social e econômica, do bairro Santo Agostinho e adjacências.

“Nosso intuito é fazer o dia a dia desses usuários mais felizes. São eles que escolhem o que querem preparar, e ensinamos o passo a passo de como fazer”, disse a coordenadora da Cozinha Comunitária, Leandra Amorim.

Para a pequena Beatriz, de 12 anos, o contato com a culinária é bem divertido e prazeroso. “Eu venho para o reforço escolar e já fico para o almoço da cozinha comunitária, quando meu pai chega do trabalho eu gosto de contar tudo que eu aprendi aqui”, disse emocionada a menina.

Acompanhamento – As crianças e adolescentes são integradas ao Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) do Centro de Referência de Assistência Social (Cras), e recebem acompanhamento pedagógico e social, desenvolvendo o sentimento de pertencimento e identidade, fortalecendo seus vínculos familiares.

Cleuson, de 12 anos, participa diariamente das atividades pedagógicas oferecidas pelo SCFV e afirma que melhorou bastante na escola. “Eu tenho dificuldade em algumas matérias, mas quando chego aqui, eles me ensinam como fazer as tarefas, e eu aprendo muito, até tenho um sonho de ser policial”, relatou o menino.

 

Texto: Jordana Santos / Semasc

Foto: Divulgação / Semasc

Compartilhar