Fundações apresentam demandas e projetos e ações para melhorar atendimento e reduzir filas

Fundações apresentam demandas e projetos e ações para melhorar atendimento e reduzir filas

O aperfeiçoamento do critério de prioridade da fila de atendimento da Fundação Cecon; a conclusão do hospital próprio e uma melhor comunicação com os pacientes da Fundação Hemoam; e o início de mutirões para combater o câncer de pele pela Fundação Alfredo da Matta são algumas das principais ações das três Fundações em andamento.

Os projetos foram apresentados pelos diretores-presidentes das três Fundações ao vice-governador e secretário de Saúde, Carlos Almeida, em reuniões com o objetivo de aprofundar o conhecimento sobre ações e demandas das Instituições.

Na FCecon, o diretor-presidente Dr. Gérson Mourão está implantando o projeto Enfermeira Navegadora. Com uma supervisão mais próxima dos pacientes, a instituição vai melhor classificar a ordem de prioridades na fila de espera. “A medida evita que um paciente já diagnosticado em estado de saúde mais delicado volte para a fila comum de espera, por tratamento ou cirurgia”, destaca ele. Uma grande demanda da Instituição, relatou Mourão, é pela revitalização do centro cirúrgico, demandado ao Estado desde o ano passado.

Inaugurar o próprio hospital é o grande projeto da Fundação Hemoam para este ano, que deve ser concluído até dezembro – as obras do prédio foram paralisadas em 2017. Com a unidade, a Fundação amplia os serviços, que alcançam a população de todo o Estado. Além disso, no curto prazo, a Fundação, explica a diretora-presidente, Socorro Sampaio, está o aperfeiçoamento da comunicação com os pacientes. “A comunicação precisa ser adequada, as pessoas que chegam até nós estão via de regra afetadas emocionalmente”.

A Fundação Alfredo da Matta acaba de ser reconduzida à condição de unidade de cooperação e referência pela Organização Pan-Americana de Saúde, da Organização Mundial de Saúde (Opas-OMS), em controle, tratamento e pesquisa da hanseníase. A unidade está necessitando de especialistas, para dar conta da demanda crescente, que extrapola as fronteiras do Amazonas.

Deste mês ao próximo, o diretor-presidente Ronaldo Derzy Amazonas, anunciou que serão realizados três mutirões para identificação e combate ao câncer de pele, em Manaus e no município Careiro Castanho. Nos mutirões, além da consulta, o paciente recebe medicação para início do tratamento. Em caso de necessidade de cirurgia, a pessoa é encaminhada para o Alfredo da Matta.

Com o diretor-presidente do Instituto de Medicina Tropical, Marcos Guerra, o secretário Carlos Almeida conheceu o sistema de gestão que a instituição já utiliza, com custo praticamente zero. Entre a demandas, Marcos Guerra apresentou necessidade de novas camas hospitalares, aquisição de tomógrafo, para substituir um com mais de 17 anos de uso, e reformas e adequações no prédio da Instituição.

 

Foto: DIVULGAÇÃO/SUSAM

Compartilhar