Pesquisa liga obesidade a 11 tipos de Câncer

Pesquisa liga obesidade a 11 tipos de Câncer

Uma importante revisão conduzida pelo Imperial College de Londres concluiu que a obesidade está ligada a onze tipos diferentes de câncer, incluindo os de esôfago, estômago e intestino, e está fortemente associada a muitos outros. Publicado em British Medical Journal, o estudo descobriu que estar 5 kg acima do um peso corporal saudável, poderia aumentar o risco de uma pessoa desenvolver cânceres do fígado e vesícula biliar em 56%.

Para os homens, o risco de desenvolver câncer de intestino em cerca de 10% e entre as mulheres pós-menopáusicas que nunca tinham usado a terapia de reposição hormonal, o risco aumenta em 11%.

A equipe identificou 204 estudos que analisaram a ligação entre o índice de massa corporal (IMC), ganho de peso e circunferência da cintura, e 36 tipos de câncer e seus subtipos.

O Departamento de Saúde Pública da Inglaterra, que recebeu a pesquisa, disse que menos da metade da população já percebeu que a obesidade é um risco para o desenvolvimento de câncer. O World Cancer Research Fund (WCRF), que financiou o estudo, estima que pelo menos 25 mil casos de câncer poderiam ser evitados no Reino Unido, todos os anos, se as pessoas buscassem um peso saudável. O WCRF já identificou a maioria dos cânceres como sendo ligados à obesidade, embora o mieloma múltiplo seja novo na lista.

O médico Panagiota Mitrou, diretor de pesquisa do organismo, em entrevista definiu o risco que as pessoas correm ao não dar importância ao peso saudável: “Depois de não fumar, manter o peso saudável é a coisa mais importante que as pessoas podem fazer para reduzir o risco de câncer. Com as taxas de obesidade continuando a subir no Reino Unido e no mundo, é extremamente importante que o enfrentamento à epidemia de obesidade, se transforme em uma prioridade urgente.”

Questionados sobre o assunto, estudiosos da Universidade de Washington, Graham Colditz e Yikyug Park confirmaram a tese: “Embora alguns detalhes ainda não tenham sido elaborados, a conclusão inevitável desses dados é que a prevenção do excesso de peso em adultos pode reduzir o risco de câncer”.

Colaboração da Jornalista Gláucia Chair

Compartilhar