Sepror recebe demandas e propostas para desenvolvimento da pesca artesanal no estado

Sepror recebe demandas e propostas para desenvolvimento da pesca artesanal no estado

A Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror) recebeu, na terça-feira (09/07), propostas para desenvolver a Pesca Artesanal no Amazonas, para inclusão de políticas públicas do setor pesqueiro. As propostas foram apresentadas pelo Sindicato dos Pescadores e Pescadoras no Estado do Amazonas (Sindpesca), com o objetivo de realizar essa integração com a Sepror para o desenvolvimento do potencial da cadeia produtiva do Estado.

O presidente da Sindpesca, Ronildo Nogueira, afirma que pauta foi principalmente para tratar sobre os ribeirinhos e a pesca, visando a qualificação e geração de emprego e renda nos municípios.

“O Sindpesca está vendo o encaminhamento do setor acontecendo de fato, e agora com o Plano Safra, que vai ser lançado no dia 17 de julho, as coisas vão se encaixar. Também esperamos as fábricas de gelo espalhadas pelo Amazonas, voltarem a funcionar”, relata Ronildo.

De acordo com o titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior, todas as estruturas (abatedouros, frigoríficos e fábricas de ração) do Sistema Sepror, que estão paradas, estão sendo avaliadas para a posterior realização de chamadas públicas.

“Há anos essas estruturas estão paradas, e precisamos dar uma destinação. Já houve uma auditoria técnica para verificar a situação de cada estrutura, e já estão sendo elaborados os editais para a realização da chamada pública para dar uma destinação a esses bens”, conclui Petrucio.

Dados da pesca artesanal – O Amazonas tem cerca de 200 mil pescadores artesanais e ribeirinhos, que são responsáveis por 70% da produção de pescado do estado.

O Sindpesca está organizado em 60 municípios com base social de 60 mil famílias e 120 mil sindicalizados em várias entidades de representação da categoria, entre sindicatos, delegacias sindicais, associações e colônias de pescadores.

 

Foto: Djalma Júnior

Compartilhar