Sistema Sepror tem ‘Dia no Campo’ no primeiro abatedouro de aves com Serviço de Inspeção no AM

Sistema Sepror tem ‘Dia no Campo’ no primeiro abatedouro de aves com Serviço de Inspeção no AM

Com o propósito de incentivar a regularização e acompanhamento técnico de abatedouros de aves na agricultura familiar do estado, o Sistema Sepror promoveu, nesta quarta-feira (12/06), o “Dia no Campo” no primeiro abatedouro de aves com o Serviço de Inspeção Estadual (SIE) no Amazonas.

O abatedouro está localizado no Km 19 da rodovia federal BR-174 (Manaus-Boa Vista), no Ramal do Areal – Zona Rural, e inicialmente atua com 80 aves/dia, cerca de 8 mil aves ao mês.

O fortalecimento do empreendedorismo no Amazonas é uma das prioridades do Governo do Estado, por meio do acompanhamento técnico do Sistema Sepror, no sentido de orientar produtores, esclarecendo os procedimentos necessários e higiênico-sanitário, para a garantia de que um produto inspecionado chegue à mesa dos consumidores amazonenses.

Para o secretário de Produção Rural, Petrucio Magalhães Júnior, o abatedouro Santa Mônica é uma prova de que o produto regional pode ser valorizado e tem grande potencial no Amazonas.

“Genuinamente amazonenses, temos desde a produção do pinto à criação nas granjas. Seguindo para o abate, aqui temos a garantia do produto inspecionado por profissionais habilitados, com um abatedouro também certificado com inspeção estadual, que pode garantir ao consumidor a qualidade de um produto regional”, destacou Petrucio.

O secretário destaca ainda que, entre as vantagens de se consumir produtos regionais, está certamente o tempo que leva da produção ao consumo. Além de bem menor do que aquele de produtos oriundos de outras regiões, promove geração de emprego e renda. Somente na área avícola, a produção regional movimenta mais de R$ 200 milhões ao ano, um potencial que chega ao quinto maior polo produtivo do país.

O proprietário do Abatedouro Santa Mônica, o empreendedor Ivo Aluísio, conta que sentiu a necessidade de regularizar o negócio para crescer no ramo empresarial, e por isso aceitou o apoio do Governo do Estado.

“Vi a necessidade do mercado e decidi me adiantar nesse setor. Temos o apoio da Sistema Sepror, do início até o final do processo. Isso nos motiva a crescer no mercado e levar o melhor para o povo amazonense”, declarou Ivo.

De acordo com o diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuário e Florestal do Amazonas (Adaf), Alexandre Araújo, este é o primeiro abatedouro certificado com Serviço de Inspeção Estadual (SIE), dentro da legislação estadual. “A tendência deste proprietário é evoluir para uma planta maior, ampliando seu negócio”, comentou Alexandre.

O diretor-presidente ressalta ainda que uma equipe de médicos veterinários e auxiliares passaram por um treinamento específico para dar o apoio a este empreendimento. “Esperamos ajudar mais pessoas e colaborar com o crescimento da economia local”, explicou ele.

Hoje o abate na Fazenda Santa Mônica ocorre três vezes por semana, com equipe da Adaf presente, fazendo orientação e fiscalizando o produto que será consumido nas mesas regionais, com higiene sanitária e respaldado pela legislação de produtos de origem animal.

Foto: Djalma Júnior/Sepror

Compartilhar