Técnicos da Amazonastur vivenciam o dia a dia do birdwatching para promover atividade em feira

Técnicos da Amazonastur vivenciam o dia a dia do birdwatching para promover atividade em feira

De olho na promoção do birdwatching (observação de aves) amazonense, a Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) enviou para Presidente Figueiredo (a 107 quilômetros de Manaus) técnicos do setor de marketing para vivenciar o dia a dia de um passarinheiro, como preparação do órgão estadual para o 14º Encontro Brasileiro de Observação de Aves (AvistarBrasil), entre os dias 17 e 19 de maio, na Universidade de São Paulo (USP).

A Amazonastur levará dois operadores do trade amazonense, as empresas Mari Mari Pousadas e Biotur Amazonas, para participar da Avistar 2019, como forma de potencializar a atividade no estado. Das 1.294 espécies de aves existentes na Amazônia, o Amazonas detém de 930 tipos. O município de Presidente Figueiredo possui 480 aves catalogadas.

De acordo com a assessora técnica do Departamento de Marketing da Amazonastur, Natacha Atala, como forma de vender o produto birdwatching na maior feira do setor do Brasil, o departamento decidiu encarar a aventura pela primeira vez em busca do “Canto da Felicidade”.

“Como a nossa equipe é um pouco nova, achamos bem interessante ter essa experiência com a observação de pássaros, que é uma forma mais fácil de vender esse produto lá fora e atrair mais turistas para o nosso estado. A trilha é bem puxada, mas quando a gente vê o pássaro, dá uma alegria”, comentou a assessora.

Cantos raros – No último sábado (13/4), o grupo da Amazonastur, sob a orientação da guia de turismo Juliene Tavares (Biotur), aventurou-se por aproximadamente seis horas de trilhas em busca dos pássaros raros da Amazônia, o uirapuru verdadeiro e o galo da serra. O produto turístico engloba os segmentos de turismo de aventura e ecoturismo.

Depois de quase 35 minutos de caminhada pelas trilhas da Reserva de Patrimônio Privado Natural (RPPN) da Onça, em Presidente Figueiredo, o famoso “Canto da Felicidade” emitido pelo uirapuru é registrado pela equipe. O som alto, do “maestro da Amazônia”, encanta os observadores, sobretudo pela raridade em que a ave aparece, pois ela só canta de 15 a 20 dias por ano, entre os meses de agosto e outubro.

Outro pássaro raro que também “apareceu” para os visitantes foi o galo da serra. “Temos um pássaro que também é raro, encontrado somente no Amazonas e Roraima, dentro do Brasil, que é o galo da serra. Devido às grutas, cavernas, florestas que temos na região, porque eles adoram muita floresta de campinarana, e fora do Brasil, encontramos na Venezuela e nas Guianas. Muitos passarinheiros vêm de todo o mundo observar essas aves”, ressaltou a bióloga Juliene Tavares.

 

Foto: Clóvis Miranda / Amazonastur

Compartilhar